A Polícia Civil investiga se o incêndio que atingiu o Instituto de Medicina do Além (IMA), em Franca (SP), no último sábado (3), foi criminoso. Segundo a instituição, as chamas causaram um prejuízo de mais de R$ 1 milhão. Ninguém se feriu.

O fogo, que teve início por volta das 17h, atingiu o estoque de livros da instituição e foi controlado após três horas de trabalho pelo Corpo de Bombeiros. As chamas teriam começado no Centro de Convivência Madre Tereza de Calcutá, onde funciona um espaço para atividades recreativas.

"Constatou que o incêndio foi criminoso, está sob investigação policial, mas a gente não está preocupado em saber quem é. Isso é o de menos. A gente só fica magoado, a tristeza é muito grande de ver o trabalho da gente, de 25 anos, sendo queimado", desabafou o médium João Berbel.

Inicialmente, o IMA havia divulgado que ao menos 280 obras foram destruídas pelo incêndio. Nesta segunda-feira (5), contudo, a instituição atualizou a estimativa e informou que ao menos 150 mil livros foram queimados.

Voluntários se mobilizaram para separar livros em boas condições após incêndio — Foto: Reprodução/EPTV

Voluntários se mobilizaram para separar livros em boas condições após incêndio — Foto: Reprodução/EPTV

De acordo com Berbel, o estoque de livros do IMA possuía diversos gêneros literários, incluindo obras científicas, romances e livros evangélicos. A venda dos exemplares era utilizada paga pagar as contas do instituto.

'Vontade de chorar'

A aposentada Vera Ferrante, voluntária do IMA, conta que levou um susto ao encontrar a destruição. "Foi de arrepiar mesmo, essa sensação de ver tudo isso queimado, são livros, obras de 25 anos, tudo queimado", relatou.

"Deu uma tristeza muito grande, vontade até de chorar a hora que eu vi. Fiquei muito emocionada e triste", lamentou a aposentada.

Vera Ferrante, voluntária do IMA, se emocionou ao ver livros queimados — Foto: Reprodução/EPTV

O instituto

Um dos maiores hospitais espíritas do país, o IMA é um complexo de oito mil metros quadrados localizado no Recreio Campo Belo, na zona norte do município. No local, até quatro mil cirurgias espirituais eram realizadas por dia antes da pandemia.

Os medicamentos receitados aos pacientes são produzidos pelo próprio IMA, à base de substâncias naturais e fitoterápicas. A farmácia do instituto distribuía, em mãos, até 500 mil cápsulas, mas, por conta da pandemia, elas passaram a ser enviadas por correio.

O que mantém o IMA de portas abertas é a renda obtida com vendas dos 250 livros escritos pelo médium João Berbel. A frequência de visitação já chegou, antes da pandemia, a 40 mil pessoas das quatro regiões do país por mês.

Fonte: EPTV 2 - 

Confira matéria completa: 
https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2021/07/05/policia-investiga-suspeita-de-incendio-criminoso-no-instituto-de-medicina-do-alem-em-franca-sp.ghtml